dengue
tv1
reajuste zero

Governo anuncia reajuste zero para servidores e manutenção do abono por 12 meses

Segundo Hashioka, intenção é diminuir disparidades salariais

22/05/2019 16h34
Por: Redacao
Fonte: midiamax
2.105
Secretários levaram projeto de manutenção do abono nesta quarta à ALMS (Foto: Maisse Cunha)
Secretários levaram projeto de manutenção do abono nesta quarta à ALMS (Foto: Maisse Cunha)

Secretário de Administração, Roberto Hashioka anunciou em entrevista coletiva nesta quarta-feira (22) na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) que o projeto de lei do governo entregue não apresenta nenhum índice de reajuste para os servidores, mas mantém o abono salarial de R$ 200 por mais 12 meses, atá maio de 2020. O anúncio do reajuste zero já era adiantado por políticos desde a semana passada.

Segundo Hashioka, a intenção da administração estadual é diminuir as disparidades salariais entre os salários dos servidores. “A partir de amanhã, seguimos conversando com os servidores por carreiras para corrigir essas disparidades, que ficam na base e no topo dos salários do Estado. É uma possibilidade de melhora das bases, mas as carreiras vamos discutir para mudanças em um futuro próximo, assim que as coisas melhorarem”.

O secretário destacou que a preocupação é pagar as contas em dia. “Para este ano, não vamos poder fazer a revisão anual. Se fizéssemos de qualquer forma poderíamos prejudicar as contas públicas e eventualmente até realizar pagamento de salário de forma parcelada”. Se o reajuste fosse feito, teria que ser pago a todas as categorias e, segundo Hashioka, é preciso se atentar a quem ganha menos.

De acordo com os dados do governo, em janeiro e fevereiro as contas estavam positivas, mas houve estagnação a partir de março e até mesmo queda após este período. “Somente em abril houve queda de 5,6%, o que representa cerca de R$ 40 milhões em arrecadação”, pontuou.

O abono, segundo Hashioka, representa 13,3% do salário das faixas de pagamento de R$ 1,5 mil e 10% para quem recebe até R$ 2 mil, a segunda menor faixa salaria da administração estadual. “Com a permanência do abono, alguns cortes no custeio terão que ser feitos”.

 

Presidente da ALMS, o deputado Paulo Correa (PSDB) destacou que os deputados contribuíram dentro do possível para fazer a ponte na negociação salarial. “A Comissão Especial, capitaneada pelo líder do governo, deputado Barbosinha, buscou uma resposta rápida para o reajuste”, disse. A Casa espera aprovar o projeto apresentado nesta quarta pelo Executivo ‘o mais rápido possível’, ´para que o abono permaneça no próximo mês no salário dos servidores.

Reajuste nas bases

Levantamento feito pela SAD (Secretaria de Estado de Administração) aponta que a média salarial dos servidores estaduais atualmente é de R$ 4.791,26, valor 144,45% maior do que a média salarial do brasileiro, que atualmente ganhar R$ 1.960, segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domícilios) Contínua, feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar disso, de acordo com o titular, um dos problemas do Governo do Estado é resolver as desigualdades encontradas dentro da máquina pública. “No Brasil a desigualdade social deve ser resolvida, e isso não é diferente no serviço público, onde tem suas desigualdades. Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, a base da pirâmide salarial hoje está muito longe do topo”, declarou.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Vicentina - MS
Atualizado às 07h07
17°
Poucas nuvens Máxima: 29° - Mínima: 17°
17°

Sensação

11.6 km/h

Vento

93.4%

Umidade

Fonte: Climatempo
telefome uteis
dourados agora
Municípios
Últimas notícias
donadela
Mais lidas
preto