Quarta, 23 de Junho de 2021 11:21
Dólar comercial R$ 4,97 0.16%
Euro R$ 5,95 +0.27%
Peso Argentino R$ 0,05 +0.1%
Bitcoin R$ 179.810,19 +4.555%
Bovespa 129.638,74 pontos +0.68%
Economia pura bucha

Com arrecadação 26% maior, Reinaldo deixa servidores de MS há 7 anos sem reajuste

Valor é referente ao aumento da receita de 2015 a 2021

25/05/2021 11h32 Atualizada há 4 semanas
486
Por: REDAÇÃO Fonte: Guilherme Cavalcante / midiamax
Foto: Leonardo de França | Midiamax
Foto: Leonardo de França | Midiamax

A arrecadação do Governo de Mato Grosso do Sul teve aumento de aproximadamente 26% nos seis anos completos de gestão tucana. É o que mostram os dados de receita do Portal da Transparência de MS, segundo os quais somente de janeiro a dezembro de 2020 foram arrecadados R$ 18,29 bilhões, contra os R$ 14,51 bilhões de 2015, primeiro ano de mandato do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Apesar disso, o governo anunciou, mais uma vez, que o reajuste dos servidores públicos será de 0% em 2021

Nos dois anos mencionados, a arrecadação prevista foi superada. Em 2015, quando o governo esperava R$ 13,31 bilhões, o aumento em cima da arrecadação projetada foi de 28,5%. Já em 2020, o primeiro ano da pandemia, eram previstos R$ 15,76 bilhões nos cofres, mas o valor arrecadado foi 16%.

Os dados parciais de 2021, a propósito, apontam que a arrecadação também deverá ser maior que o previsto: até maio deste ano, o Governo já arrecadou R$ 7,35 bilhões (confira a tabela abaixo).

ANO

TOTAL PREVISTO ANUAL

TOTAL ARRECADADO

2015 R$ 13.315.775.500,00 R$ 14.515.631.671,00
2016 R$ 13.672.538.200,00 R$ 11.384.967.954,57
2017 R$ 13.685.226.300,00 R$ 12.349.232.663,24
2018 R$ 14.347.028.300,00 R$ 14.684.394.002,13
2019 R$ 14.861.635.600,00 R$ 15.637.559.632,61
2020 R$ 15.769.260.700,00 R$ 18.293.874.590,17
2021 (parcial) R$ 17.605.333.400,00 R$ 7.355.611.422,59
Fonte: Portal da Transparência de MS

A tabela também revela que a receita estadual enfrentou déficit em 2016 e 2016, mas que já demonstrou recuperação nos anos seguintes, com saldos positivos. O superávit do ano da pandemia foi o que mais surpreendeu: MS despontou como um dos poucos estados brasileiros a fechar as contas no azul em meio a crise ocasionada pelo novo coronavírus.

Isso porque o cenário de receita favorável é decorrente não só do aumento de exportações de commodities e alta do dólar, mas também do apetite da gestão tucana, desde a política fiscal a arrocho salarial.

Alguém paga a conta

O saldo positivo nas finanças de Mato Grosso do Sul coloca o Estado na dianteira da prosperidade, digamos assim. Mas, essa política tem alto custo, que tem sigo pago por contribuintes, consumidores e servidores públicos. Além da política fiscal rigorosa – MS possui uma das maiores taxas de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no país, que encarece produtos e serviços de forma generalizada – o funcionalismo público vive há sete anos sob uma política de arrocho generalizado.

Na última segunda-feira (24), após reunião com entidades sindicais, o governador bateu o martelo de que não haverá reajuste salarial. Este é o segundo ano que a administração de Reinaldo Azambuja não autoriza nem sequer a reposição inflacionária. Desde o primeiro ano de gestão, em 2015, o funcionalismo público não teve reajuste real, acima da inflação.

Além do aumento de 16% na arrecadação em 2020 - com receita saltou de R$ 15,6 bilhões para 18,2 bilhões - entre março e dezembro do ano passado, a administração tucana não economizou muito em despesas diárias após a adoção do regime de teletrabalho em 2020, após o início da pandemia de Covid-19. Dados obtidos pelo Jornal Midiamax apontam que a administração de Reinaldo Azambuja (PSDB) não poupou nem 20% em gastos com água, energia elétrica e telefone.

Vale lembrar que apenas o salário do primeiro escalão do governo, composto pelos secretários de Estado, gira em torno de R$ 360 mensais. Considerando o segundo escalão, a conta se aproxima dos R$ 800 mil.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Vicentina - MS
Atualizado às 12h05 - Fonte: Climatempo
25°
Muitas nuvens

Mín. 18° Máx. 28°

25° Sensação
18.9 km/h Vento
50.8% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (24/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 18° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens
Sexta (25/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias