Segundo o site The Verge, o Windows 11 faz uso de vários elementos que estavam sendo desenvolvidos para o recém-cancelado Windows 10X. A barra de tarefas é a mudança mais visível, com um visual simplificado e ícones centralizados no rodapé da tela, lembrando a “dock” do mac OS.

  •  

O campo de pesquisa foi removido e substituído por um botão que abre uma interface com opções dedicadas para busca. O Menu Iniciar também foi simplificado: os “blocos dinâmicos” do Windows 10 sumiram, e o foco está nos apps que você decidiu fixar ao menu e nos documentos recentes, além de opções para desligar ou reiniciar o computador. 

PUBLICIDADE

Menu Iniciar do Windows 11. Imagem: Tom Warren/Reprodução

Um detalhe que chama a atenção são os cantos arredondados nas janelas e menus, algo que a Microsoft nunca usou em versões anteriores do sistema. O Windows 11 também marca o retorno dos “widgets“, mini-aplicativos que agora vivem em um painel móvel à esquerda da tela. 

Também há melhor integração com o Xbox, com o app agora fazendo parte do sistema e facilitando o acesso a jogos e contatos na rede social do serviço, e uma nova experiência de instalação/primeiro uso, para quando o usário migra do Windows 10. Por fim, há um novo “som de boot” que toca quando o sistema é carregado, incluso abaixo:

PUBLICIDADE

Ainda não há uma data oficial de lançamento para o Windows 11, nem informações sobre seu preço ou opções de migração para usuários do Windows 10. A Microsoft deve revelar mais detalhes em seu evento, que acontecerá em 24 de junho às 12h (horário de Brasília).

PUBLICIDADE

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!