dengue
tv1
GRUPO DE EXTERMÍNIO

Jamil Name e filho são presos em operação do Garras

Empresários foram presos em casa; operação policial combate milícia armada

27/09/2019 08h27
Por: Redacao
Fonte: CORREIO DO ESTADO
2.096
Policiais em frente a casa dos empresários Name e Name Filho - Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
Policiais em frente a casa dos empresários Name e Name Filho - Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

Policiais Civis do Grupo de Repressão a Assaltos e Sequestros (Garras) e militares do Batalhão de Choque, prenderam os empresários Jamil Name e Jamil Name Filho, no Bairro Bela Vista, em Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (27). O mandado contra eles é de prisão preventiva. A ação, que combate um grupo de extermínio, milícia armada, e suspeitos de corrupção ativa e passiva, também contou com agentes do Grupo de Apoio Especial de Repressão Organizado (Gaeco) e da Polícia Federal. 

 

São pelo menos 13 mandados de prisão preventiva, 10 de prisão temporária e 21 mandados de busca e apreensão para serem cumpridos. Há ordens judiciais até mesmo contra advogados. A operaçao foi denominada Omertá.

 

Os nomes de Name e de Name Filho aparecem em inquérito conduzido pelo Grupo de Apoio Especial no Combate ao Crime Organzado (Gaeco), que investiga grupo de extermínio, suspeito de vários crimes de homicídio em Campo Grande.

 

O endereço dos mandados contra os empresários é o mesmo em que o guarda municipal Marcelo Rios, chegou a ser flagrado portando armas de uso restrito em maio deste ano. Na mesma operação, no dia 19, os policiais encontraram um arsenal com o mesmo guarda, em outra casa no Bairro Monte Líbano.

 

O baú com o arsenal continha, seis fuzis, dois deles do modelo AK-47, além de mais de uma dezena de pistolas, silenciadores e milhares de munições.

 

Rios atualmente está preso preventivamente no presídio federal de Mossoró (RN). Outros dois guardas municipais, Robert Kopetski e Rafael Antunes da Silva, e o motorista Flavio Morais da Cunha, também estão presos. Por causa do envolvimento com o grupo de extermínio, Marcelo Rios e Kopetski foram demitidos da Guarda Civil Municipal.

 

FAMÍLIA

 

Para dar o nome à operação, os policiais utilizaram um termo do dialeto napolitano, do idioma italiano. Omertá, conforme o Gaeco, é um termo que se fundamenta em um forte sentido de família e em um silêncio que impede a cooperação com autoridades policiais ou judiciária. Código de honra muito usado nas máfias do Sul da Itália. 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Vicentina - MS
Atualizado às 02h56
25°
Muitas nuvens Máxima: 33° - Mínima: 23°
25°

Sensação

8.2 km/h

Vento

84.2%

Umidade

Fonte: Climatempo
telefome uteis
dourados agora
anuncie aqui
Municípios
Últimas notícias
donadela
Mais lidas
preto