dengue
tv1
BOLIVIA

Após fraude, Bolívia terá novas eleições

Auditoria da OEA pediu anulação do pleito que deu quarto mandato ao presidente em 20 de outubro

10/11/2019 09h14Atualizado há 1 semana
Por: Redacao
Fonte: FOLHA
2.064
EVO
EVO

O presidente da Bolívia, Evo Morales, convocou novas eleições, com a renovação do órgão eleitoral, e pediu que "se reduza toda a tensão" no país, após três semanas de enfrentamentos violentos, que causaram três mortes e deixaram mais de 300 feridos nas principais cidades do pa

O anúncio foi feito pelo mandatário na manhã deste domingo (10), depois que o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, pediu a anulação das eleições na Bolívia, após auditoria realizada na apuração dos votos. Almagro instou o governo de Evo Morales a convocar novas eleições.

A tensão na Bolívia vem em escalada por conta de enfrentamentos entre apoiadores e críticos de Morales, que o acusam de fraude. Nos últimos dias, houve levantes de policiais e militares que se recusaram a tomar ações de repressão contra opositores, enquanto Morales acusou uma "tentativa de golpe de Estado".

Os resultados iriam ser divulgados apenas em 13 de novembro, mas foram adiantados "por conta da gravidade das denúncias", disse Almagro em um comunicado em que pede que a eleição do último dia 20 de outubro "seja anulada e que o processo eleitoral comece novamente". A OEA também afirma que o governo deve marcar o novo pleito "assim que existam novas condições que deem garantias de sua realização, entre elas uma nova composição do órgão eleitoral". 

Ao aceitar a auditoria da OEA, Morales tinha se comprometido a respeitar as conclusões desta análise. Na manhã deste domingo, confirmou que o fará, ainda que não tenha anunciado a data do novo pleito.

A Bolívia vive um agravamento da tensão nas ruas por conta dos resultados contraditórios divulgados após as eleições do último dia 20 de outubro. O órgão eleitoral iniciou uma contagem rápida, que dava um resultado de segundo turno até os 80% das atas apuradas. Três horas depois, porém, essa contagem foi interrompida por 24 horas, enquanto se acelerou a contagem "voto a voto". Quando por fim foram anunciados os resultados, Morales estava na frente por pouco mais de 10 pontos percentuais de vantagem, o que o levaria a vencer num primeiro turno.

Desde então, os protestos vêm aumentando em La Paz e em outras cidades, com ataques a casas de autoridades, incêndios e confrontos de rua.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
telefome uteis
dourados agora
anuncie aqui
Municípios
Últimas notícias
donadela
Mais lidas
preto