Sexta, 05 de Junho de 2020 22:10
67999851200
economia desvalorização

Com 7º menor salário do País, policiais militares e bombeiros de MS vão exigir reajuste de 23,5%

No ano passado, Reinaldo teve aumento de 16,37% no salário, mas congelou os salários dos policiais

05/03/2020 20h01 Atualizada há 3 meses
2.154
Por: Redacao Fonte: o jacaré / EDIVALDO BITENCOURT
.
.

Recebendo o 7º menor salário entre as 27 unidades da federação, os policiais militares e bombeiros de Mato Grosso do Sul vão exigir a reposição da inflação dos últimos quatro anos, que representa reajuste de 23,5%. As negociações com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) começam com o fortalecimento do movimento dos militares em todo o País, que contam com o apoio de ministros do Governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

No Estado, 12 mil militares estão sem reajuste há quatro anos, segundo o presidente da AME-MS (Associação dos Militares Estaduais), Thiago Mônico Marques. Como a data-base da categoria é maio, as entidades já começaram as negociações com o Governo. No ano passado, o funcionalismo público estadual não teve reajuste, apesar do salário do governador ter sido reajustado em 16,37%.

A defasagem é muito maior na opinião do presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PM e Corpo de Bombeiros, cabo Mário Sérgio Couto. “Só de reposição da inflação dá 27%”, afirmou. Ele defende pelo menos três pontos percentuais de ganho real, o que significa correção de 30% nos salários dos policiais.

Uma das reivindicações da entidade será a exigência de nível superior para ingressar na PM, o que poderá elevar os vencimentos em 15% com a reestruturação. Outro pedido é a atualização dos sete níveis atuais.

Outro problema é o déficit de militares para atuar na prevenção da violência em Mato Grosso do Sul. Atualmente, as viaturas ficam encostadas nos quarteis em decorrência da falta de policiais. Antigamente, conforme Couto, militares faziam ronda a pé por falta de veículos.

Até hoje faz sucesso o vídeo de Reinaldo Azambuja na campanha de 2014, quando prometia valorizar os integrantes da segurança pública. Em entrevista ao apresentador Tatá Marques, do programa O Povo na TV, do SBT MS, o tucano prometia melhores salários aos policiais militares e bombeiros.

Só que no cargo há cinco anos, Reinaldo não cumpriu a promessa. Conforme levantamento da Associação dos Cabos e Soldados de São Paulo, o salário inicial de soldado em MS, de R$ 3.352, é o 8º menor do País.

Na região Centro-Oeste, o militar sul-mato-grossense recebe a pior remuneração. Goiás paga a maior entre os 27 estados, com R$ 5.767, enquanto o Distrito Federal tem o 2º maior salário (R$ 5.245). Mato Grosso paga o 6º maior salário para soldado (R$ 4.741).

A situação já foi muito melhor para a PM no Estado. Há 14 anos, no último ano de gestão de Zeca do PT, o Governo sul-mato-grossense pagava o 2º maior salário ao policial no País. De acordo com Couto, André Puccinelli (MDB) entregou com o 7º maior. Com Reinaldo, o vencimento passou a figurar em 20º entre os maiores do País, ou seja, despencou 13 posições. Já o salário de governador passou a ser o maior do País.

Salário de soldado da PM em MS despencou de 2º para 20º maior, segundo entidade

Estado Valor
Goiás R$ 5.767
Distrito Federal  R$ 5.245
Acre R$ 5.113
Roraíma R$ 5.026
Amapá R$ 4.830
Mato Grosso R$ 4.741
Tocantins  R$ 4.711
Rio Grande do Sul R$ 4.689
Santa Catarina R$ 4.581
Maranhão R$ 4.558
Rondônia R$ 4.232
Amazonas R$ 4.227
Paraná  R$ 4.180
Minas Gerais R$ 4.098
Alagoas R$ 3.744
Pará R$ 3.659
Rio de Janeiro R$ 3.452
Piauí R$ 3.371
Sergipe R$ 3.370
Mato Grosso do Sul R$ 3.352
Fonte: ACS SP

O reajuste exigido pelos militares de MS representa quase metade do reajuste concedido pelo governador Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais. Apesar da crise nas finanças mineiras, que vem atrasando pagamento de salários, os policiais de MG vão ter correção de 41%.

Os policiais militares do Ceará conseguiram reajuste de 40%, que elevará o salário inicial de R$ 3.253 para R$ 4,5 mil em 2022. O índice foi proposto pelo governador Camilo Santana (PT) após 13 dias de aquartelamento.

“O governo federal vê com preocupação a paralisação que é ilegal da Polícia Militar do Estado. Claro que o policial tem que ser valorizado, claro que o policial não pode ser tratado de maneira nenhuma como um criminoso. O que ele quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas de fato essa paralisação é ilegal, é proibida pela Constituição. O STF (Supremo Tribunal Federal) já decidiu isso”, afirmou o ex-juiz.

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, defendeu a paralisação dos policiais. “Todo mundo tem direito à greve. As categorias têm direito à greve”, afirmou a ministra durante reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, na Suíça.

A manifestação dos ministros e o reajuste de 41% proposto por Zema acenderam o sinal de alerta entre os governadores, que temem um efeito cascata.

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Vicentina - MS
Atualizado às 23h07 - Fonte: Climatempo
18°
Poucas nuvens

Mín. 18° Máx. 25°

18° Sensação
10.7 km/h Vento
89.2% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (06/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 13° Máx. 23°

Sol com muitas nuvens
Domingo (07/06)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 15° Máx. 28°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias