tv1
dengue
corrupção

Gestão de Azambuja pagou R$ 2 milhões em cartilhas à editora sem gráfica e “abençoada” por 6 agências

Policiais federais e auditorias da CGU chegam à Governadoria para cumprir mandado de busca e apreensão em mais uma operação contra a corrupção (Foto: Midiamax/Guilherme Cavalcante

14/02/2019 17h28
Por: Redacao
Fonte: Edivaldo Bitencourt / O JACARÉ
2.221
Policiais federais e auditorias da CGU chegam à Governadoria para cumprir mandado de busca e apreensão em mais uma operação contra a corrupção (Foto: Midiamax/Guilherme Cavalcante
Policiais federais e auditorias da CGU chegam à Governadoria para cumprir mandado de busca e apreensão em mais uma operação contra a corrupção (Foto: Midiamax/Guilherme Cavalcante

Principal alvo da Operação Aprendiz, deflagrada nesta quinta-feira pela Polícia Federal e Ministério Público Estadual, a Editora Planeta Educação recebeu R$ 2,097 milhões para imprimir cartilhas de 10 campanhas do Governo do Estado. No entanto, a empresa não possui gráfica nem participou de nenhuma licitação.

Principal alvo da Operação Aprendiz, deflagrada nesta quinta-feira pela Polícia Federal e Ministério Público Estadual, a Editora Planeta Educação recebeu R$ 2,097 milhões para imprimir cartilhas de 10 campanhas do Governo do Estado. No entanto, a empresa não possui gráfica nem participou de nenhuma licitação.

Além da editora, a operação, que teve a participação de 47 policiais federais e seis auditores da CGU (Controladoria-Geral da União), cumpriu mandados de busca e apreensão em seis agências de publicidade, na Segov (Secretaria Estadual de Governo e Relações Institucionais), que assumiu as funções da Casa Civil, na editora e na residência do proprietário, Fabrício Freitas.

Conforme a 30ª Promotoria do Patrimônio Público, seis das 12 agências contratadas pela gestão tucana participaram do suposto esquema. Elas compraram as cartilhas da editora, que não possui estrutura nem maquinário para imprimir as cartilhas.

PF encontrou caixas e caixa com cartilhas impressas em 2016 estocadas em sala de editora. Agora objetivo é descobrir porque material, que custou uma fortuna, não foi entregue (Foto: Divulgação)

A empresa terceirizava a impressão junto a duas gráficas da Capital. Ao checar a estrutura das fornecedoras das cartilhas, os policiais não encontraram nem máquina de cópia no endereço de uma, que era apenas residência.

O superfaturamento encontrado nos contratos varia de 223% a 992%. A gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB), que prega a eficiência na administração estadual, pagou R$ 674 mil pelas cartilhas da campanha “Trânsito Legal”. O material custou apenas R$ 64 mil ao dono da editora, que teve lucro de R$ 610 mil, nove vezes o valor da mercadoria.

Na Editora Planeta Educação, conforme o promotor, ainda foram encontradas caixas de cartilhas impressas em 2015 e 2016, que ainda não foram entregues pelo Governo do Estado.

Marcos Alex explicou que a operação visa identificar os empresários e agentes públicos envolvidos no suposto esquema criminoso, que causou prejuízo de, no mínimo, R$ 1,6 milhão aos cofres públicos.

Operação cumpriu mandado de busca e apreensão em prédio onde estão três agências de publicidade (Foto: Campo Grande News)

O secretário especial Sérgio de Paula, do Escritório de Relações Institucionais, assinou os contratos quando era chefe da Casa Civil e poderá entrar na mira da Operação Aprendiz.

O promotor apura os crimes de dispensa de licitação, corrupção passiva e peculato.

Tudo começou com a Operação Toque de Midas 2, que encontrou indícios de desvio na compra de livros didáticos na Prefeitura de Paranhos, a 440 quilômetros da Capital e na fronteira com o Paraguai.

Com esta operação, tudo indica que o MPE, como diz o ditado popular, mirou um passarinho e atingiu um elefante.

Governo diz que “colabora com investigação” do MPE

O governador Reinaldo Azambuja divulgou nota oficial sobre a Operação Aprendiz. Ele destacou designou a Controladoria Geral do Estado para acompanhar as investigações.

“O Governo do Estado reitera sua posição de colaborar com as investigações sobre quaisquer atos da administração pública”, garante.

Veja a nota:

“O Governo do Estado designou a Controladoria Geral do Estado (CGE) para acompanhar as investigações da “Operação Aprendiz” desencadeada na manhã desta quinta-feira (14.2), em Campo Grande, pela 30ª Promotoria de Justiça, Polícia Federal e Controladoria Geral da União.

O Governo do Estado reitera sua posição de colaborar com as investigações sobre quaisquer atos da administração pública.

Governo do Estado de Mato Grosso do Sul 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Vicentina - MS
Atualizado às 23h47
26°
Muitas nuvens Máxima: 35° - Mínima: 22°
27°

Sensação

4.9 km/h

Vento

47.3%

Umidade

Fonte: Climatempo
telefome uteis
anuncie aqui
dourados agora
Municípios
Últimas notícias
donadela
Mais lidas
preto